Palestra: A mulher no mercado de trabalho

Faculdade Lourenço Filho realizou uma palestra sobre o empoderamento feminino.

O tema em destaque foi “A mulher no mercado de trabalho: Como equilibrar vida pessoal e profissional”.

 

Nesta quinta-feira (8) de fevereiro a Faculdade Lourenço Filho realizou uma palestra, ministrada pela professora Súelen Freitas, na sede das empresas CallDesk Contact Center e Meireles Freitas. O principal objetivo do evento foi discorrer sobre o empoderamento feminino dentro das empresas, e levar uma reflexão a respeito do potencial da mulher no mercado de trabalho.

Uma tarde de conhecimento voltado para a figura feminina no mercado profissional. Foram convidadas as colaboradoras das empresas citadas acima para este diálogo. A palestrante Suélen apresentou tópicos e exemplos da constituição trabalhista das mulheres, passando pela história, a evolução e as conquistas. A conversa  também trouxe um destacou  para o perfil que a mulher mantém perante o mercado de trabalho no Brasil.

Nayara Martins, colaboradora da empresa CallDesk Contact Center, comenta o que este momento representou. “Achei a palestra maravilhosa, a professora foi excelente, apresentou uma abordagem surpreendente e bastante domínio sobre o assunto”, ressalta. Os dados demonstrados no encontro comprovaram o que as mulheres querem para o ano de 2018 e como equilibrar os desejos pessoais e profissionais.

Empoderar

Empoderamento feminino é a consciência coletiva, expressada por ações para fortalecer as mulheres e desenvolver a equidade de gênero. Empoderar-se é o ato de tomar poder sobre si. Por isso, as mulheres precisam reconhecer que elas são capazes, para então poder começar a fazer mudanças.

Em 2010, a ONU lançou sete princípios de empoderamento das mulheres, a fim de pôr em prática seus propósitos para um mundo melhor.  Que são eles:

  1. Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível.
  2. Tratar todas as mulheres e homens de forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não discriminação.
  3. Garantir a saúde, segurança e bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa.
  4. Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres.
  5. Apoiar empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres através das cadeias de suprimentos e marketing.
  6. Promover a igualdade de gênero através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social.
  7. Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero.

Oito anos se passaram e é observado que esses princípios ainda precisam ser massivamente aplicados. Mas, é visto que o empoderamento está presente em grandes ações, como por exemplo, nesta que a Faculdade Lourenço Filho fez uma parceria com as empresas CallDesk Contact Center e Meireles Freitas, que já realizam um programa de empoderamento e desenvolvimento profissional com as mulheres, as quais ocupam boa parte do número de colaboradores das organizações citadas.

Por tanto, quando as empresas decidem seguir esta política interna de isonomia entre gêneros e quebra de preconceitos contra as mulheres podemos observar  o real sentido de empoderar.

Fonte: https://impacthubcuritiba.com/empoderamento-feminino/

Galeria de Fotos